Microrregião Paragominas expande produção de soja

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na última quarta-feira (22) os números da Produção Agrícola Municipal (PAM) 2020. A pesquisa disponibiliza informações sobre quantidade produzida, área plantada ou destinada à colheita, área colhida, dentre outras.

Em termos de área plantada ou destinada à colheita de culturas temporárias e permanentes, a microrregião Paragominas apresentou aumento de 3,6% na comparação 2020/2019; pode-se considerar esse percentual modesto quando se defronta com a resultado do estado, que teve ampliação de 10,7%. De todo modo, vale mencionar que a micro continua sendo a maior em termos de área plantada, atingindo 418 mil hectares em 2020. Na segunda colocação está a micro Tomé-Açu, com 265 mil hectares.

Especificamente sobre a produção de soja, sendo a micro Paragominas a maior produtora do estado, a área plantada foi ampliada em 3,6%, enquanto a quantidade produzida aumentou 7,5%, alcançado quase 1,1 milhão de toneladas.

Considerando os municípios da micro que cultivam soja (apenas Bom Jesus do Tocantins e Goianésia do Pará não produzem), em todos eles observou-se crescimento da quantidade produzida. Conforme detalhado no quadro a seguir, a maior expansão percentual ocorreu em Abel Figueiredo, com praticamente 42% de aumento. Em termos de quantidade produzida, os três principais são, nessa ordem: Paragominas, Dom Eliseu e Ulianópolis.

Quantidade produzida de soja (em grãos) nos municípios produtores da microrregião Paragominas (PA) – 2019 e 2020:

Ainda segundo a pesquisa do IBGE, o valor da produção de soja na microrregião Paragominas em 2020 alcançou R$ 1,7 bilhão, valor este 50% maior do que o notado em 2019 (considerando valores nominais – sem deflacionar). Foi constatado também que houve leve melhora na produtividade da produção de soja na referida micro: enquanto em 2019 o rendimento médio (quilogramas por hectare) foi de 3.041, em 2020 aumentou para 3.156.

Os números da pesquisa do IBGE demonstram que a tendência de expansão na produção de soja na micro Paragominas de fato ocorreu. Tendo em vista que nos municípios está havendo, em maior ou menor velocidade, a substituição de pastagens e de outras culturas pelo cultivo da soja, esse comportamento deve persistir, ampliando a área e quantidade produzida na microrregião. Vale mencionar, por fim, que há espaço para melhorar no quesito produtividade: já se tem microrregião no país com rendimento superior a 4 mil quilogramas por hectare. A busca por maior produtividade pode diminuir a pressão por novas áreas para o plantio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s