Hospital Municipal é tema de discussão na Câmara de Vereadores

Por Maiko de Sousa

Na última segunda-feira (30), a Câmara Municipal de Rondon do Pará realizou sua sessão ordinária e foram discutidas e aprovadas as seguintes moções:
Moção 91, de autoria dos vereadores Fagner Carlos Alves Barreto (DEM), Rafael da Silva Pereira (REPUBLICANOS), Nilton Dias Costa (PSD) e a vereadora Milena da Costa Lustosa Machado (PSD), que solicita à Secretaria de Saúde intervenção junto ao Deputado Junior Ferrari para a aquisição de um novo e moderno aparelho de Raio X para o hospital municipal.
Moção 92, de autoria da vereadora Milena Lustosa da Costa Machado (PSD) e dos vereadores Fagner Carlos Alves Barreto (DEM), Nilton Dias Costa (PSD) e Rafael da Silva Pereira (REPUBLICANOS), solicita à Prefeitura a doação de um terreno urbano para a Associação de Ciclismo de Rondon do Pará – CNPJ 23.503.039/0001-27, grupo “Pedalar Rondon” construir sua sede.
Moção 93, de autoria do vereador Jacir Ribeiro Almeida (PSDB), solicita à direção do SAAE para que seja feita a reposição do asfalto após a escavamento para ligação de rede ou suspensão de água em imóveis na cidade.
Moção 94, de autoria dos vereadores Rafael da Silva Pereira e Fagner Carlos Alves Barreto (DEM), solicita à Prefeitura que proceda estudo na cidade de Rondon para instalação de lixeiras em pontos estratégicos da cidade.

Nas considerações pessoais, foi concedida a palavra ao ex-vereador Carlos Almeida Vidal (Budega) que expressou ter medo do atendimento do hospital municipal, pois o seu irmão falecido recentemente, o professor Onofre José de Almeida, foi vítima de negligência. Segundo ele, o hospital não disponibilizou o aparelho desfibrilador para tentar reanimar o professor que havia sofrido um infarto. O vereador Audicio de Jesus Oliveira (MDB) prestou condolências ao ex-vereador Carlos Almeida Vidal, assim como o vereador Warlen Santos (DEM), que disse também estar preocupado com a falta de equipamentos no hospital municipal. Já a vereadora Milena da Costa Lustosa Machado (PSD) defendeu o hospital afirmando que a causa do falecimento do professor foi um infarto fulminante, e que ele estava há mais de dois dias sem tomar medicação correta. Para ela, o hospital não foi negligente e convidou a direção do hospital para prestar esclarecimentos na tribuna.

Os vereadores Marcus Cabette Sanches (PSDB) e Wildenberg Melo Sousa (MDB) não compareceram na sessão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s