Balanço geral das eleições municipais de 2020

Por Camila Gusmão

Adriana Andrade, do MDB, foi eleita prefeita de Rondon do Pará (PA) para os próximos quatro anos com 48,58% dos votos. A candidata teve 9.818 votos e derrotou o atual prefeito Arnaldo Rocha, do PSDB, que ficou em segundo lugar, com 8.573 votos. A eleição em Rondon para a escolha do futuro prefeito teve 28,48% de abstenção, 0,98% votos brancos e 3,95% votos nulos. Uma falha no sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atrasou divulgação dos resultados, no site a última atualização com 100% de apuração das urnas saiu às 22h19, mas antes do resultado final, com 93% das urnas apuradas, a candidata Adriana Andrade já era considerada a vencedora dessa eleição. Em terceiro lugar, com 6,79%, ficou Dr Antônio, do PSL, seguido de João Demacon, do Patriota, que conseguiu 1,96%, e Irmão Tizil, do Pc do B, com 0,24% dos votos. 

Movimentação em frente à escola Dionísio no domingo

Adriana Andrade tem 43 anos, é casada com o ex-prefeito Edilson Oliveira e foi secretária de Assistência Social em seu mandato. Antes de se candidatar para concorrer à prefeitura nas eleições de 2020 exercia a função de diretora na escola estadual Dionísio Bentes de Carvalho. Ela declarou ao TSE um patrimônio de R$ 275.592. O vice de Adriana é Dahu Machado, vereador desde 2012. Os dois fazem parte da coligação “Juntos para cuidar de Rondon”, formada pelos partidos PSC, PT, MDB, PSD e REPUBLICANOS. 

Segundo dados coletados na plataforma do TSE, cerca de 8.466 rondonenses deixaram de votar em 2020, o que representa 28% dos eleitores aptos a votarem no município. É quase a mesma quantidade de votos que o candidato do segundo lugar, Arnaldo Rocha, recebeu. No pleito municipal anterior, em 2016, foram 8.381 abstenções. A disputa neste ano ficou entre Adriana e Arnaldo que juntos somam 18.391 eleitores e obtiveram 90% dos votos, a diferença entre eles foi de 1245 votos. 

As eleições em Rondon do Pará também definiram os 15 vereadores que vão compor o legislativo municipal. Neste ano, foram registrados 140 candidatos, de 15 partidos, 13 a mais que nas eleições de 2016 que recebeu 127 pedidos de candidatura. A faixa etária dos candidatos variou de 21 a 74 anos, desses, 31,3% eram mulheres e 68,7% eram homens. Cerca de 35,33% tinham ensino médio completo e apenas 23,33% ensino superior completo. Desses, 74% se declaram pardos, 15% brancos e 8% pretos. Entre as principais ocupações dos candidatos, destacam-se 26% comerciantes, 10% servidores públicos, e 4% de agricultores, donas de casa e empresários.

O vereador é comumente chamado de “fiscal do povo”. Os que conseguiram se eleger vão atuar na câmara municipal para criar leis para o município, determinar o limite de orçamento e verificar se os recursos destinados ao município estão sendo devidamente aplicados. A escolha dos vereadores é diferente dos prefeitos, que são escolhidos pelo sistema majoritário no qual ganha quem atingir a maioria dos votos. Os vereadores dependem da quantidade de votos que todos os candidatos do partido receberam e assim são eleitos pelo sistema proporcional, mas nem sempre os mais votados conseguem se eleger. 

Para definir os candidatos vencedores são realizados três cálculos, o primeiro é o Quociente Eleitoral (QE), um cálculo feito a partir da quantidade total de votos válidos recebidos pelos candidatos, divididos pelas cadeiras disponíveis no legislativo. A partir desse resultado é calculado o Quociente Partidário (QP) para definir a quantidade de cadeiras que cada partido vai obter na câmara municipal. Portanto, divide-se o total de votos válidos recebidos do partido (reúne os votos de todos os candidatos da sigla partidária) pelo quociente eleitoral (resultado do primeiro cálculo). A partir dessas vagas, os candidatos mais votados de cada partido vão ocupando as cadeiras. O terceiro cálculo é chamado de média ou sobra e vai definir as vagas restantes que não foram ocupadas por QE ou exigência de votação mínima pelo partido. Para tanto, o total de votos do partido é dividido pelas cadeiras já obtidas mais 1. O partido que obtiver a melhor média tem direito a ocupar a primeira cadeira restante e assim as vagas vão sendo distribuídas até todas serem preenchidas. Os candidatos que receberem mais votos dentro do partido vão ocupando as cadeiras que a sigla conseguiu. 

Em Rondon o DEM foi o partido que recebeu 4070 votos e conseguiu alcançar quatro cadeiras, se tornando o partido com mais vagas no legislativo. Com 20.456 votos a candidatos concorrentes, divididos pelas 15 vagas disponíveis no legislativo, obteve-se o QE de 1363. Os partidos só podem ocupar uma vaga se atingir essa quantidade de votos ou mais e os vereadores devem atingir no mínimo 10% desse valor. Para saber a quantidade de vagas que o partido recebeu, foi calculado o total de votos do partido, divido pelo quociente eleitoral (4070/1363), o resultado do cálculo é o QP de 2,98 (a fração é desprezada), ou seja, são essas as cadeiras disponíveis para a sigla. No entanto, ainda existem as sobras, que são as vagas restantes que vão sendo distribuídas através de cálculo da média. 

Para vereador a quantidade de votos nulos foi de 587 e os votos em branco 213. Milena Machado, do PSD, foi a mais bem votada, recebeu 767 dos votos e será a única mulher a ocupar uma cadeira na câmara a partir de 1 de janeiro de 2020. A candidata é esposa de Dahu Machado, eleito vice-prefeito. 

Segundo o portal do TSE, neste ano 12 candidatos a vereador tentaram a reeleição para ocupar uma das 15 vagas disponíveis no município, mas apenas seis conseguiram se reeleger, as outras nove vagas foram preenchidas por candidatos que nunca ocuparam esse cargo. Os reeleitos foram:

Fabiano (MDB) com 620 votos; 

Diego Santos (DEM) 551 votos;

Wildenberg (MDB) 533 votos;

Mapincol (PSDB) 504 votos;

Adilson Torsol(MDB) 438 votos;

Erasmo Carias (MDB) 358 votos

Já as outras nove novas cadeiras serão para:

Milena de Dahu(PSD) 767 votos;

Garotinho (DEM) 695 votos;

Jacir Almeida (PSDB) 541 votos;

Paulo Sergio (PSC) 504 votos;

Fagner Barreto (DEM) 410 votos;

Nilton da Rajada (PSD) 402 votos;

Miguel do Ônibus (DEM) 386 votos;

Tio Rub (PODE) 334 votos;

Professor Rafael (REPUBLICANOS) 258 votos.

Desses, Professor Rafael, Milena de Dahu, Jacir Almeida, Fagner Barreto, Nilton da Rajada e Miguel do Ônibus se candidataram pela primeira vez ao cargo de vereador em Rondon do Pará.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s