Como tirar nota mil na redação do Enem?

Na última edição do Enem, entre um pouco mais de 4 milhões de participantes, apenas 55 obtiveram a nota máxima na redação, que por sinal, entre os ‘felizardos’, 42 redações com a nota mil foram produzidas por elas. Enquanto isso, na edição anterior, somente 53 dos 6,7 milhões de candidatos, conquistaram o topo da pirâmide. Daí, dá pra notabilizar, por esses números, que chegar à nota máxima na redação do Enem é tão difícil quanto encontrar uma agulha no parelho. Será?

Bom, pra quem faz o ‘dever de casa’ desde o ensino fundamental, à base de muita leitura e escrita, entre outros ingredientes necessários, não é tão difícil obter a nota máxima como acima se apresentam os dados. No entanto, o índice de leitura não obrigatória entre os estudantes da educação básica é bem inferior ao esperado. 

Costumo dizer para os meus pupilos na oficina de redação que para obter uma boa nota na redação do Enem, além de uma boa bagagem cultural, à base de leituras e releituras, assim como, uma boa bagagem linguística, é necessário que o estudante também conheça de perto os mecanismos que caracterizam a escrita de um bom texto dissertativo-argumentativo, tal como é exigido de acordo às normas do INEP. 

Sendo assim, quatro momentos são essenciais a fim de obter a nota máxima, seguidos, é claro, por uma prática diária até o dia da prova de redação. Entre os instantes capitais, o primeiro consiste em ler e reler quantas vezes necessárias os textos motivadores, grifando e circulando as informações mais importantes relacionadas à temática em questão. Isso exige treino e dedicação.

Em seguida, após a leitura e releitura dos textos motivadores, o estudante precisa preparar um esquema da sua redação – ou seja, um esqueleto da textualidade final, contendo o tema e a tese, bem como, as causas, as consequências e as intervenções, a fim de solucionar a negatividade social que permeia o tema apresentando. 

Logo após o segundo momento, com base no esquema em mãos, hora de escrever o rascunho da redação, com quatro parágrafos, numa média de 7 a 8 linhas cada. 

Por fim, é só passar a limpo o rascunho, não se esquecendo de que o mesmo merece uma leitura e releitura a fim de colocar todos os pontos nos ‘IS’. Depois é só correr pro abraço! 

Profº. Ms. Robson Luiz Veiga

Robson Luiz Veiga é professor de Língua Portuguesa & Literatura nas redes estadual e municipal de ensino. Formado em Letras pela UFPA. Mestre em Literatura e Crítica Literária pela PUC Goiás. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s