Símbolo mundial dos autistas será colocado nas placas de preferências

Por Jussara Alves

Dia 2 de abril é celebrado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Em Rondon do Pará este dia foi marcado pela entrada em vigor da Lei 763/2019 que obrigada a implantação do símbolo mundial dos autistas nas placas de preferências da cidade. Locais públicos, como prefeitura e Câmara de Vereadores, e privados, como restaurantes, bancos e lotéricas, deverão fixar de forma visível o símbolo para que haja atendimento prioritário às crianças, jovens e adultos que possuem o transtorno e seus acompanhantes.

A lei foi sancionada pelo prefeito no Dia Mundial de Conscientização do Autismo.

O projeto de lei foi apresentado na segunda-feira na Câmara Municipal pelo vereador Dahú Machado e aprovada por unanimidade. A solicitação do projeto partiu de Andreia Aguiar, mãe de uma criança autista. Rondon do Pará não conta com nenhuma associação voltada especificamente para o trabalho com autistas mas existe a vontade de se pensar em um projeto específico para esse público. “Precisamos de projetos que possam dar voz para essas crianças, jovens e adultos. São pessoas com casos de autismo severo e simples”, comentou Andreia.

Andreia Aguiar, no centro da foto, que fez a proposta do projeto de lei.

A lei sancionada pelo prefeito Arnaldo Rocha recebe o nome de Yuri Duarte. “Não tive nenhuma dúvida em escolher esse nome. O Yuri é um autista de grau mais severo, estava presente na sessão da Câmara. Foi muito bom para que as pessoas que não têm conhecimento desses autistas mais severos, já que eles costumam ficar em casa por ser o ambiente de conforto deles”, relatou Andreia.

Yuri Duarte, que empresta o nome ao projeto de lei.

O autismo é uma síndrome neuropsiquiátrica. Os transtornos do espectro autista (TEA) causam limitação na linguagem verbal e/ou não verbal, na interação social e comportamentos repetitivos com interesses restritos. O grau de gravidade varia de pessoa para pessoa, desde um quadro leve, com independência e discretas dificuldades de adaptação até o mais severo, com dependência para as atividades diárias.

O autismo aparece nos primeiros anos de vida e, apesar de não ter cura, algumas terapias e medicamentos auxiliam na melhora da qualidade de vida para os pacientes e suas famílias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s